FENÔMENOS NATURAIS NA TERRA

Translate

sexta-feira, 18 de novembro de 2016

FENÔMENOS NATURAIS EROSÕES

Fenômenos Naturais na Terra


Erosão é o processo de desgaste, transporte e sedimentação do solo, dos subsolos e das rochas como efeito da ação dos agentes erosivos, tais como a água, os ventos e os seres vivos.
A superfície da Terra como a conhecemos é formada tanto por processos geológicos que formam as rochas, como por processos naturais da degradação e também de erosão. Uma vez que a rocha é quebrada por causa da degradação, os pequenos pedaços podem ser movidos pela água, gelo, vento, ou gravidade. Tudo o que acontece para fazer com que as rochas sejam transportadas chama-se erosão.
A Erosão e um desgaste do solo ou das rochas por desgaste naturais, como causa é promovido geralmente pelo ser humano, devido aos seus desmatamentos e constante uso do solo na agricultura.
Em solos cobertos por densa vegetação, tais como árvores (florestas densas) a erosão é muito pequena e quase inexistente, mas é um processo natural sempre presente e importante para a formação dos relevos.
A superfície do solo, não castigado, é naturalmente coberta por uma camada de terra rica em nutrientes inorgânicos e materiais orgânicos que permitem o crescimento da vegetação; se essa camada é retirada, por um processo de erosão ou impacto ambiental, nesse caso chamamos de rocha nua, sem a primeira camada de solo, esses materiais desaparecem e o solo perde a propriedade de fazer crescer vegetação e pode-se dizer que, no caso, o terreno ficou árido ou que houve uma desertificação.
As águas da chuva quando arrastam o solo descoberto ou propenso a erosão, quer ele seja rico em nutrientes e materiais orgânicos, quer ele seja árido, provocam o enchimento dos leitos dos rios e lagos com esses materiais e esse fenômeno de enchimento chama-se assoreamento.
Assoreamento é o processo em que se observa no leito dos rios acúmulo de detritos, lixo,entulho e outros. No fundo dos rios e lagoas, esse acúmulo interfere na topografia de seus leitos impedindo-os de portar todo o seu volume hídrico, provocando transbordamento em épocas de grande quantidade de chuvas.
No Brasil o despejo sistemático de esgotos domésticos, lançados, direta ou indiretamente nas margens dos rios, filtrados dos aterros sanitários é uma das causas de morte da vida marinha nos rios e lagos e que não deve ser confundido com o processo de assoreamento.
 O problema ocorre com a retirada das vegetações para uso agrícola, deixando o solo exposto e tornando a erosão, o que pode levar à desertificação, se ocorrer durante vários anos, pior quando há uso de venenos para pulverizar o solo agrícola.
O avanço imobiliário em encostas que, além de desflorestar, provocam a erosão acelerada devido ao declive do terreno, a ocupação do solo, impedindo grandes áreas de terrenos de cumprirem o seu papel de absorvedor de águas e aumentando, com isso, a potencialidade do transporte de materiais, devido ao escoamento superficial.
Abaixo amigos leitores segue fotos dos Fenômenos Naturais na Terra que ocorrem devido às constantes erosões.

Portugal
Portugal, Lagos, Oceano, Erosão

Bardenas, Navarre
Bardenas, Navarre, Deserto,  Erosão

Moab Utah
Arco de Corona, Moab, Utah

Fada Chaminé, Erosão

Oceano, Praia, Maré, Rochas, Erosão


quinta-feira, 3 de novembro de 2016

FENÔMENOS METEOROS

Fenômenos Naturais na Terra


Corpos sólidos luminosos que vem em uma determinada direção proveniente do espaço, é um fenômeno que se deve sempre observar, que dependendo do tamanho pode causar grandes destruição e ou acabar com a vida em um planeta.
Hoje estão levando a sério este fenômeno que pode destruir nosso planeta, há vários observatórios no nosso planeta, são observados a passagem deles perto da terra.

Chuvas de Meteoros

Chuva de meteoros é um evento em que um grupo de meteoros é observado irradiando de um único ponto no céu (radiante). Esses meteoros são causados pela entrada de detritos na atmosfera a velocidades muito altas. Numa chuva de meteoros, esses detritos geralmente são resultado de interações de um cometa com a Terra, em que material do cometa é desprendido de sua órbita, ou quando a Terra cruza essa órbita. A maior parte dos meteoros são menores do que um grão de areia e por isso quase sempre se desintegram e não atingem a superfície do planeta. Chuvas intensas e incomuns de meteoros são também chamadas de surtos ou tempestades de meteoros, nas quais são vistos mais de mil meteoros por hora.


Chuvas de Meteoros



Meteoroides

Meteoróides são fragmentos de materiais que vagueiam pelo espaço e que, segundo a Organização Internacional de Meteoros, possuem dimensões significativamente menores que um asteroide e significativamente maiores que um átomo ou molécula, distinguindo-os dos asteroides - objetos maiores, ou da poeira interestelar - objetos micrométricos ou menores.Os meteoroides derivam de corpos celestes como cometas e asteroides e podem ter origem em ejeções a de cometas que se encontram em aproximação ao sol, na colisão entre dois asteroides, ou mesmo ser um fragmento de sobra da criação do sistema solar. Ao entrar em contato com a atmosfera de um planeta, um meteoroide dá origem a um meteoro.

Meteoróides

Meteorito

Um meteorito é a denominação dada quando um meteoroide, formado por fragmentos de asteroides ou cometas ou ainda restos de planetas desintegrados, que podem variar de tamanho desde simples poeira a corpos celestes com quilômetros de diâmetro, alcança a superfície da Terra, podendo ser um aerólito (rochoso), siderito (metálico) ou siderólito (metálico-rochoso).

Meteorito

Asteroides


São corpos rochosos e metálicos que possuem órbita definida ao redor do Sol. Fazem parte dos corpos menores do sistema solar, possuindo, geralmente, apenas algumas centenas de quilômetros. Alguns asteroides possuem luas.
Os asteroides estão concentrados em uma órbita cuja distância média do Sol é de cerca de 2,1 a 3,2 unidades astronômicas, entre as órbitas de Marte e Júpiter. Esta região é conhecida como Cinturão de Asteroides, que é uma fonte de pequenos corpos. No entanto, dentro deste cinturão há diversas faixas que estão praticamente vazias (são as chamadas Lacunas de Kirkwood), que correspondem a zonas de ressonância onde a atração gravitacional de Júpiter impede a permanência de qualquer corpo celeste.
Alguns asteroides, no entanto, descrevem órbitas muito excêntricas, aproximando-se periodicamente dos planetas Terra, Vênus e, provavelmente, Mercúrio. Os que podem chegar perto da Terra são chamados EGA , um deles é o famoso Eros.

                                                                             
Asteroide

Cometa


Cometa é um corpo menor do sistema solar que quando se aproxima do Sol passa a exibir uma atmosfera difusa, denominada coma, e em alguns casos apresenta também uma cauda, ambas causadas pelos efeitos da radiação solar e dos ventos solares sobre o núcleo cometário. Os núcleos cometários são compostos de gelo, poeira e pequenos fragmentos rochosos, variando em tamanho de algumas centenas de metros até dezenas de quilômetros.

                                                                                 
Cometa
Vento Solar


O vento solar é a emissão contínua de partículas carregadas provenientes da coroa solar. Essas partículas podem ser elétrons e prótons, além de subpartículas como os neutrinos.Próximo da Terra, a velocidade das partículas pode variar entre 400 e 800 km/s, com densidades próximas de 10 partículas por centímetro cúbico.Variações na coroa solar, devido à rotação do Sol e às suas atividades magnéticas, tornam o vento solar variável e instável, exercendo influência nos gases ao redor da estrela e planetas próximos a esta.Exemplos dos efeitos do vento solar são as caudas cometárias, que têm a sua orientação definida pela direção do vento solar, e alterações nos campos magnéticos planetários (magnetosfera), já que defletem as partículas e impedem-nas de chegar às superfícies dos planetas. Com efeito, a deflexão das partículas do vento solar varia conforme o campo magnético do planeta: quanto maior a intensidade magnética, maior será a deflexão.

                                                                                 
Vento Solar

terça-feira, 18 de outubro de 2016

TEMPESTADE

Fenômenos Naturais na Terra


Uma tempestade (do latim tempestate, "tormenta, agitação"), tormenta, temporal ou toró é um fenômeno atmosférico marcado por ventos fortes, trovoadas, relâmpagos, raios e chuva, usualmente com duração de dezenas de minutos.


Formação e Caracterização



As tempestades estão em geral associadas às nuvens do tipo Cumulonimbus. O radar meteorológico é uma das ferramentas fundamentais em seu estudo. Dentro da grade de disciplinas dos cursos de graduação em Meteorologia, as tempestades são estudadas na disciplina de física de nuvens.
As tempestades provocam precipitação de água líquida e gelo, na forma de chuvisco, chuva leve, moderada e forte, e quando é mais intensa com fortes correntes ascendentes e descendentes também granizo e saraiva. As tempestades podem aparecer isoladas, ou em grupo na forma de agrupamentos convectivos (cluster), de forma mais ou menos desorganizada, ou na forma de linhas de tempestades, chamadas linhas de instabilidade, ou ainda quando uma das tempestades do agrupamento cresce mais que todas as outras e atinge grandes proporções (tipicamente 10 km x 10 km x 12 km em latitudes médias) como uma super-célula.
Nas regiões montanhosas de climas frios (latitudes médias) a tempestade pode provocar neve ou nevasca se o vento é intenso. Ao derreter neve fresca obtém-se água líquida na proporção aproximada de 10 para 1, por exemplo, um metro de neve fresca derrete para formar 100 mm (10 cm) de altura de água liquida sobre cada metro quadrado do terreno horizontal.
Tempestades formam-se quando há suficiente liberação de calor latente pela condensação de gotas de nuvem e cristais de gelo (na parte fria da tempestade). Dentro da tempestade coexistem movimentos verticais ascendentes e descendentes intensos, o que gera muita turbulência mistura e entranhamento de ar pelo topo da tempestade a medida que ela cresce. O ar seco que entranha pelo topo é muito seco e evapora as gotas e cristais da nuvem gerando resfriamento das parcelas de ar e sua descida através da nuvem, na forma de correntes descendentes, ao mesmo tempo que correntes ascendentes sobem devido ao aquecimento das parcelas de ar pela liberação de calor latente de condensação.
As tempestades ocorrem quando a atmosfera encontra-se termodinamicamente instável, há energia potencial disponível para ser convertida em movimento de ar ascendente dentro da nuvem e descendente fora da nuvem (na forma de uma célula de circulação), e quando há convergência do vento em superfície, por exemplo, junto a uma frente de rajada de brisa marítima durante o período convectivo.

TEMPESTADE DE RAIOS

TEMPESTADE TROPICAL

NEVASCA


Pesquisa: Origem






quinta-feira, 13 de outubro de 2016

FURAÇÃO MATTHEW 2016 E SUAS CONSEQUÊNCIAS NO HAITI

Fenômenos Naturais na Terra


Furacão Matthew é um poderoso ciclone tropical que afetou a Jamaica, Cuba, República Dominicana, Bahamas e, especialmente, o Haiti. Ele passou ao longo da costa leste dos Estados Unidos, incluindo os estados da Flórida, Geórgia, Carolina do Sul e Carolina do Norte, mas chegou com bem menos força do que no Caribe. Foi o primeiro ciclone tropical da Bacia do Atlântico a atingir a Categoria 5 na Escala de furacões de Saffir-Simpson desde o Furacão Felix em 2007.
O décimo quarto ciclone tropical, décima terceira tempestade e segundo grande furacão da temporada de furacões no Atlântico de 2016, o Furacão Matthew formou-se a partir de uma vigorosa onda tropical que se movia para fora da costa africana em 22 de setembro, seguindo em uma trilha para o oeste, até evoluir para uma tempestade tropical enquanto situava-se aproximadamente ao leste das Ilhas de Sotavento em 28 de setembro. Um dia mais tarde, tornou-se um furacão, localizado ao oeste das Ilhas de Sotavento e rapidamente fortaleceu-se para um furacão de categoria 5.
O Haiti foi o país mais afetado. A Unicef calcula que 1,3 milhão de haitianos foram prejudicados pelo furacão, que passou pela península de Tiburon com ventos de até 230km/h e chuvas torrenciais. Várias cidades sofreram danos graves em larga escala, deixando dezenas de milhares de pessoas desabrigadas. Em alguns locais as perdas nas culturas agrícolas chegaram a 80%, e a única ponte que ligava o centro e o sul do Haiti foi destruída, prejudicando os trabalhos de ajuda à população. O furacão complicou a situação de um país que ainda não tinha se recuperado dos efeitos do devastador terremoto de 2010. Foram organizados programas de ajuda internacional ao Haiti para envio de alimentos, água, dinheiro, medicamentos e equipes de emergência. No dia 10 de outubro o Escritório das Nações Unidas para a Coordenação de Assuntos Humanitários pediu 119 milhões de dólares para responder aos danos causados pela passagem do furacão Matthew no Haiti e para prestar assistência, nos próximos três meses, a cerca de 1,4 milhão de pessoas em necessidade urgente no país atingido. O total de mortes atribuídas à tempestade no Haiti passou de mil, e o cômputo final pode ser maior, pois após sua passagem foram diagnosticados vários casos de cólera causados pela contaminação das águas, havendo risco de uma epidemia. Esses números fazem de Matthew o mais mortal dos furacões no Atlântico desde o Stan em 2005, que matou mais de 1.600 na América Central e no México.
Matthew provocou quatro mortes na República Dominicana, além de danificar cerca de duzentas casas, obrigar a evacuação de 794 pessoas e deixar 31 comunidades incomunicáveis. Em Cuba não foram registrados óbitos, graças a um eficiente programa de evacuação, mas 1,3 milhão de pessoas tiveram que deixar suas casas, ocorreram enchentes, deslizamentos de terra e grandes danos materiais principalmente na província de Guantánamo. Uma das cidades mais atingidas foi Baracoa, a mais antiga da ilha e sua primeira capital, onde ventos de até 220km/h combinados a chuvas intensas e uma maré de tempestade destruíram parcial ou totalmente cerca de 90% das e dificações, incluindo prédios de grande valor no centro histórico. Várias cidades nos arredores ficaram isoladas.
Na sequência, o furacão se deslocou para o norte, aproximando-se da costa dos Estados Unidos. Em 6 de outubro o presidente Barack Obama declarou um estado de emergência federal para a Flórida. A declaração de desastre federal foi mais tarde estendida para incluir a Geórgia e a Carolina do Sul. Entre os dias 7 e 8 o furacão começou a perder potência rapidamente. No dia 8 havia sido rebaixado para a Categoria 2, e no final do dia seu olho chegou a tocar a terra em McClellanville, na Carolina do Sul, mas já estava na Categoria 1. No dia 9 passou a se afastar da costa e perder também suas características de tempestade tropical. Nos Estados Unidos o impacto foi bem menos intenso do que nas ilhas do Caribe, mas provocou marés de tempestade, chuvas intensas, queda de árvores, bloqueio de estradas, suspensão de voos e danos estruturais. Em vários pontos da costa houve inundações recorde. Mais de dois milhões de pessoas foram evacuadas em quatro estados norte-americanos. Mais de um milhão de pessoas ficou sem energia elétrica na Flórida, 250 mil na Carolina do Sul e 120 mil na Geórgia. Até o dia 11 pelo menos 34 mortes nos Estados Unidos foram atribuídas ao furacão, e os prejuízos materiais foram calculados entre 4 e 6 bilhões de dólares.

Fotos: Fonte de pesquisa: 

ESTRAGOS HAITI  FURAÇÃO MATTHEW 2016



ESTRAGOS FURAÇÃO MATTHEW NO HAITI


ESTRAGOS FURAÇÃO MATTHEW NO HATI


TERREMOTO DO HAITI EM 2010 E SUAS CONSEQUÊNCIAS

Fenômenos Naturais na Terra


O sismo do Haiti de 2010 foi um terremoto catastrófico que teve seu epicentro na parte oriental da península de Tiburon, a cerca de 25 km da capital haitiana, Porto Príncipe,foi registrado às 16h53m10s do horário local (21h53m10s UTC), na terça-feira, 12 de janeiro de 2010. O abalo alcançou a magnitude 7,0 Mw e ocorreu a uma profundidade de 10 km (6,2 mi). O Serviço Geológico dos Estados Unidos registrou uma série de pelo menos 33 réplicas sismológicas, 14 das quais eram de magnitude 5,0Mw a 5,9Mw. O Comitê Internacional da Cruz Vermelha estima que cerca de três milhões de pessoas foram afetadas pelo sismo; o Ministro do Interior do Haiti, Paul Antoine Bien-Aimé, antecipou em 15 de janeiro que o desastre teria tido como consequência a morte de 100 000 a 200 000 pessoas.
O terremoto causou grandes danos a Port-au-Prince, Jacmel e outros locais da região. Milhares de edifícios, incluindo os elementos mais significativos do patrimônio da capital, como o Palácio Presidencial, o edifício do Parlamento, a Catedral de Notre-Dame de Port-au-Prince, a principal prisão do país e todos os hospitais, foram destruídas ou gravemente danificadas. A Organização das Nações Unidas informou que a sede da Missão das Nações Unidas para a estabilização no Haiti (MINUSTAH), localizada na capital, desabou e que um grande número de funcionários da ONU havia desaparecido. A morte do Chefe da Missão, Hédi Annabi, foi confirmada em 13 de janeiro pelo presidente René Préval.
Muitos países responderam aos apelos pela ajuda humanitária, prometendo fundos, expedições de resgate, equipes médicas e engenheiros. Sistemas de comunicação, transportes aéreos, terrestres e aquáticos, hospitais, e redes elétricas foram danificados pelo sismo, o que dificultou a ajuda nos resgates e de suporte; confusões sobre o comando das operações, o congestionamento do tráfego aéreo, e problemas com a priorização de voos dificultou ainda mais os trabalhos de socorro. Necrotérios de Port-au-Prince foram rapidamente esmagados; o governo haitiano anunciou em 21 de janeiro que cerca de 80 mil corpos foram enterrados em valas comuns. Com a diminuição dos resgates, as assistências médicas e sanitárias tornaram-se prioritárias. Os atrasos na distribuição de ajuda levaram a apelos raivosos de trabalhadores humanitários e sobreviventes, e alguns furtos e violências esporádicos foram observados.

Fotos fonte de pesquisas:


Fonte de Pesquisa




sábado, 8 de outubro de 2016

COMO SÃO OS FENÔMENOS NATURAIS EM NOSSO PLANETA

     
FENÔMENOS NATURAIS EM NOSSO PLANETA

Fenômenos Naturais na Terra


O que são Fenômenos Naturais: é um evento observável que não é feito pelo homem.

Fenômeno: É qualquer coisa que se manifesta, um fenômeno é qualquer evento que é observável, por mais comuns que poderia ser, mesmo que isso requer o uso de instrumentação para observar, registrar, ou compilar os dados que lhe digam respeito.




Desastres Geológicos


Avalanches e deslizamentos de terra


Uma avalanche é um dos fenômenos denominados por “movimentos de massa” e que fazem parte da dinâmica do relevo terrestre. Elas ocorrem sempre em locais bastante íngremes e constituem o deslocamento de parte do solo e/ou material rochoso, gelo e neve.





O deslizamento de terra é na verdade apenas uma categoria dos chamados “movimentos de massa”: processo de vertente que envolve o desprendimento e transporte de solo e/ou material rochoso encosta abaixo.



                                 
Terremotos 

Terremoto ou sismo é um fenômeno que acontece devido à movimentação que ocorre no núcleo do planeta Terra. As ondas de força provocadas por tal movimentação são transmitidas às outras camadas componentes da massa do planeta até atingir a superfície na forma de tremores.


Sinkholes

Crateras que se abrem de repente, também conhecidas como sumidouros, é uma depressão ou buraco no solo causada por algum tipo de colapso da camada de superfície. 


As erupções vulcânicas


Erupção vulcânica é um fenômeno natural que ocorre nos vulcões, que em determinado momento derramam magma através de sua abertura superior, a chamada "chaminé vulcânica".
erupções vulcânicas ocorrem quando a crosta terrestre sofre uma ruptura e permite que o material que está As a altíssimas temperaturas no manto alcance a superfície. O material que extravasa é constituído por gases, lavas e cinzas. Os vulcões normalmente apresentam formato cônico e montanhoso.


  
                      


Desastres Hidrológicos

É uma mudança violenta, súbita e destrutiva, quer em termos de qualidade da água da Terra ou na distribuição ou movimento da água no solo abaixo da superfície ou na atmosfera.




Inundações

Inundação ou enchente é o transbordamento de água sobre um território seco.
As inundações geralmente são causadas por chuvas fortes e prolongadas. Depois de muita chuva, a terra fica encharcada e perde a capacidade de absorver toda a água que cai sobre ela. Essa água escorre então para os lugares mais baixos, indo parar em riachos e rios. Na primavera, nos países de clima mais frio, a neve derretida pode somar-se à água da chuva. Devido ao volume extra de água que chega aos rios, o nível dos rios sobe. Quando o nível sobe tanto que a água transborda das margens do rio, ocorre uma inundação.


Erupções limnic
erupção limnic , também referido como um lago derrubar , é um tipo raro de desastre natural em que dissolveu o  dióxido de carbono(CO 2 ), de repente irrompe em águas profundas do lago, formando uma nuvem de gás que pode sufocar a vida selvagem, animais e seres humanos. Tal erupção também pode causar tsunamis no lago como o crescente CO 2 desloca água. Os cientistas acreditam terremotos , atividade vulcânica , ou explosões podem ser um gatilho para tal fenômeno. Lagos em que ocorre tal atividade pode ser conhecido como lagos limnically ativos ou lagos explodindo.