10 desastres naturais mais perigosos da terra

Segue 10 desastres naturais mais perigosos no mundo, olhem e vejam esses desastres que acontecem em nosso mundo, que estão cada vez mais frequentes, compartilhem, obrigado.
Ciclone-Tropical-Catarina-26-De-Março-2004
Ciclone Tropical Catarina 26 de Março 2004

Ciclones, furacões ou tufões


Ciclone, furacão ou tufão, são diferentes denominações para um mesmo fenômeno: trata-se de uma região de baixa pressão atmosférica, onde o ar relativamente quente se eleva e favorece a formação de nuvens e precipitação. Por isso, tempo chuvoso e nublado, chuva e vento forte estão sempre associados a esses centros de baixas pressões.
Os ciclones são indicados nos mapas meteorológicos pela letra «B» e são locais onde a pressão atmosférica é a mais baixa na sua vizinhança e em volta do qual existe um padrão organizado de circulação de ar. À medida que, pela acção do diferencial de pressões, o ar flui dos centros de altas pressões para um centro de baixas pressões é deflectido pela força de Coriolis.
Ciclone tropical é um termo geral para esse fenômeno meteorológico, mas dependendo de sua localização geográfica e de sua intensidade, os ciclones tropicais podem ganhar várias outras denominações, tais como furacão, tufão, tempestade tropical, tempestade ciclônica, depressão tropical ou simplesmente ciclone.
Furacao-Catarina
Furacão Catarina
Origem da Imagem: commons wikimedia org


Furacao-Isabel
Furacão Isabel
Origem da Imagem: commons wikimedia org

Tempestade de raios

Em razão da grande intensidade (tensões e correntes elétricas), raios sempre são perigosos. Assim, edificações em geral, bem como os sistemas de transmissão de energia necessitam de sistemas de proteção, que incluem os para-raios. Todavia, mesmo com as proteções (nem sempre são projetadas ou construídas corretamente), os raios ainda deixam milhares de mortos e feridos por todo o mundo.
Como fenômenos de alta energia, os raios manifestam-se usualmente como um trajeto extremamente luminoso que percorre longas distâncias, às vezes com ramificações. Contudo, existem formas exóticas, como o raio globular, cuja natureza se desconhece, existindo somente relatos deste fenômeno.
Relampago-raios-tempestade
Relâmpago, raios, tempestade

Erupções Vulcânicas

As erupções vulcânicas podem ser divididas quanto à sua violência em explosivas e efusivas. As erupções explosivas são causadas pela acumulação de vapor e gases sob elevadas pressões, que são libertados de forma violenta. A interação de águas subterrâneas e magma leva à produção de vapor, que retido debaixo de camadas de rocha se acumula até atingir uma pressão suficientemente elevada para a destruir e libertar-se para a atmosfera. Gases que eventualmente estejam dissolvidos no magma em ascensão no vulcão, por ação da elevada pressão no seu interior, podem também expandir rapidamente após a explosão inicial de vapor, formando uma explosão secundária que é por vezes mais intensa que a primária e que pode formar um fluxo piroclástico. Em contraste, nas erupções efusivas existe uma libertação lenta de lava de baixa viscosidade e com reduzido conteúdo volátil, não existindo fenômenos explosivos associados a este tipo de erupção.
As erupções vulcanianas começam normalmente com erupções freato magmáticas que podem ser extremamente ruidosas, devido ao aquecimento de água subterrânea pelo magma em ascensão. Este processo é usualmente seguido de uma explosão que desobstrui a chaminé vulcânica, erguendo-se uma coluna suja, cinzenta ou negra, devido à expulsão de rochas preexistentes na chaminé. As erupções vulcanianas podem lanças blocos de rocha de vários metros de dimensão a centenas de metros ou mesmo alguns quilômetros de distância. À medida que a chaminé é desobstruída, as nuvens de cinza tornam-se mais esbranquiçadas, sendo a saída de rolos de cinza similar à das erupções plinianas.
Cinzas, Erupção Vulcânia
Cinzas, Erupção Vulcânica

Erupcao-vulcanica-Pompeia-Homem
Erupção vulcânica, Pompéia, Homem

Tornados

Os tornados são observados em todos os continentes, exceto na Antártida. No entanto, a maioria dos tornados no mundo ocorre no "Corredor dos Tornados" ou, em inglês, Tornado Alley, uma região dos Estados Unidos, embora possam ocorrer quase em qualquer lugar na América do Norte. Eles também ocorrem ocasionalmente no centro-leste e sul da Ásia, nas Filipinas, no norte e centro-leste da América do Sul, África do Sul, noroeste e sudeste da Europa, oeste e sudeste da Austrália e Nova Zelândia. Os tornados podem ser detectados através de radares de impulsos Doppler, assim como visualmente, por caçadores de tempestades.
A maioria dos tornados possui a forma de um estreito funil, com algumas poucas centenas de metros de comprimento e com uma pequena nuvem de pó e detritos em sua base, próxima ao solo. Os tornados podem ficar obscurecidos por completo devido a chuva ou aos dejetos por ele levantados. Se assim for, eles são particularmente perigosos, considerando que até mesmo os meteorologistas mais experientes poderiam não vê-los.Os tornados, não obstante, podem se manifestar sob várias formas e tamanhos. Pequenos e relativamente fracos, landspouts podem ser notados por causa do pequeno redemoinho de pó formado por eles, sobre o solo. Ainda que o funil de condensação possa não se estender até o solo, se, associado aos ventos de superfície, superar os 64 km/h, a circulação é considerada um tornado.
Tornado-Tempestade
Tornado, tempestade

Queda de meteoro

Foi um meteoroide que adentrou a atmosfera terrestre sobre a Rússia em 15 de fevereiro de 2013, transformando-se em uma bola-de-fogo que cruzou os céus do sul da região dos Urais até explodir sobre a cidade de Cheliabinsk.
Cerca de 1 200 pessoas procuraram atendimento médico em consequência do evento, sendo que a maioria dos feridos machucou-se com estilhaços de vidro das janelas destruídas pela onda de impacto da explosão da bola-de-fogo. Segundo a defesa civil, pelo menos duas estavam muito mal. A explosão e os impactos resultantes danificaram prédios em seis cidades na região do evento. O calor resultante do atrito do objeto com o ar da atmosfera produziu uma luz ofuscante, a ponto de projetar sombras em Cheliabinsk, tendo sido avistada nos óblastsde Sverdlovsk e Oremburgo e no vizinho Cazaquistão.
O meteoro de Cheliabinsk é o maior corpo celeste a atingir a Terra desde o evento de Tunguska, em 1908, e, até onde se tem conhecimento, o único evento no qual tamanho número de vítimas foi registrado. Reconstrução de sua trajetória orbital baseada nas informações e vídeos amadores coletados permitiram concluir com segurança que tal meteoroide pertencia ao grupo de asteroides denominado Apollo, que orbitam de forma perigosa nas proximidades da terra.
video
Meteoro de Cheliabinsk, Rússia

Local de Origem do Vídeo: commons wikimedia org

Sismo, abalo sísmico, tremor de terra, terremoto

Na superfície da Terra, sismos manifestam-se através de tremores e, por vezes, pelo deslocamento do solo. Quando o epicentro de um grande terramoto está localizado no fundo do oceano, ele pode deslocar água o suficiente para causar um tsunami. Os terremotos também podem desencadear deslizamentos de terra e, ocasionalmente, atividade vulcânica. Um sismo de alta intensidade também pode diminuir a rotação do planeta, como, por exemplo, o que ocorreu no Chile em 27 de fevereiro de 2010, que provocou movimento de oito centímetros no eixo de rotação terrestre.
Falha-de-San-Andreas-California
Falha de San Andreas, Califórnia
Origem da Imagem: commons wikimedia org

Tsunami ou Maremoto

Um tsunami pode ser gerado quando os limites de placas tectônicas convergentes ou destrutivas movem-se abruptamente e deslocam verticalmente a água sobrejacente. É muito improvável que esses movimentos podem formar-se em limites divergentes (construtivo) ou conservativos das placas tectônicas. Isso ocorre porque esses limites em geral não perturbam o deslocamento vertical da coluna de água. Sismos relacionados a zona de subducção geram a maioria dos tsunamis. Pesquisadores, em 2017, descobriram que o movimento horizontal do fundo do mar inclinado durante um terremoto subaquático pode dar tsunamis um impulso crítico.
As ondas geradas por ventos corriqueiros e ondas de gravidade têm um comprimento de onda (comprimento entre as cristas) de cerca de 100 metros e uma altura de alguns centímetros. Entretanto, um tsunami em alto mar tem um comprimento de onda de cerca de 200 km. Essa onda pode viajar a mais de 800 km/h, mas devido ao seu grande comprimento de onda, seu período (intervalo de tempo entre a passagem de uma crista e outra no mesmo local) pode durar de 20 a 30 minutos, e a amplitude de onda pode não passar de um metro. Isso torna difícil a detecção de tsunamis em águas profundas. Navios raramente notam a sua passagem.
Tsunami-consequencias
Tsunami, consequências

Inundação ou enchente

É, geralmente, uma situação natural de transbordamento de água do seu leito natural, qual seja, córregos, arroios, lagos, rios, ribeirões, provocadas geralmente por chuvas intensas e contínuas. Em mares e oceanos, os alagamentos devidos a ressacas também são denominados de enchentes, como os já ocorridos na Holanda. A ocorrência de enchentes é mais frequente em áreas mais ocupadas, quando os sistemas de drenagem passam a ter menor eficiência com o tempo se não forem recalculados ou devidamente adaptados tecnicamente. É comum o aumento das destruições devido sobretudo ao adensamento populacional de determinadas áreas sujeitas tradicionalmente a cheias cíclicas.
Inundação-enchente-rio
Inundação, enchente, rio

Deslizamento de terra


O “deslizamento de terra é na verdade apenas uma categoria dos chamados” movimentos de massa “, processo que envolve o desprendimento e transporte de solo ou material rochoso encosta abaixo. 
O material inclinado que se torna saturado com água pode se transformar em um fluxo de detritos ou fluxo de lama . A pasta resultante de rocha e lama pode pegar árvores, casas e carros, bloqueando, assim, pontes e afluentes causando inundações ao longo de seu caminho. O fluxo de detritos é muitas vezes confundido com enchente, mas são processos totalmente diferentes.
Deslizamento-de-terra
Deslizamento de terra

Origem da Imagem: commons wikimedia org

Avalanche (avalancha)

É um fenômeno que se verifica quando uma massa acumulada de neve repentinamente se movimenta de forma rápida e violenta e se precipita em direção ao vale. Durante a descida, a massa carrega cada vez mais neve e pode arrastar árvoresrochas e construções humanas, atingindo até 160 quilômetros por hora. Este destacamento de massas de neve pode ser provocado por diversas causas, como a passagem de esquiadores, a ação de fortes ventos, propagação do som.
Avalanche-geleira-neve
Avalanche, geleira, neve

Fonte de Pesquisa: Wikipédia

Postagens mais visitadas deste blog

TERREMOTO DO HAITI EM 2010 E SUAS CONSEQUÊNCIAS

COMO SÃO OS FENÔMENOS NATURAIS EM NOSSO PLANETA

FURAÇÃO MATTHEW 2016 E SUAS CONSEQUÊNCIAS NO HAITI

FENÔMENOS METEOROS